quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Segundo Trimestre!

O segundo trimestre se foi! Já estamos com 32 semanas! Estamos na reta final! E não vemos a hora de conhecer o Arthur!

Aquela disposição que todas dizem sentir no segundo trimestre não apareceu por aqui não... Mas acredito que minha rotina de acordar de madrugada, trabalhar o dia todo e chegar em casa já à noite, tenha contribuído para que cada vez mais eu tivesse vontade de ficar em casa deitada no sofá.

Os últimos meses foram super tranquilos! Eu me senti muito bem! Às vezes até esquecia que estava grávida. Não deixei de fazer nada... Continuei fazendo faxina, fazendo pilates, etc. 

Comecei a sentir o Arthur mexer, por volta das 14 semanas... No início eram só cosquinhas, que foram aumentando e lá pelas 20 semanas era nítido! É tão gostoso sentir ele mexer e responder aos meus pedidos! 

Arthur é um bebê super tranquilo! Não é de mexer o tempo todo, nem me incomodar com seus chutes! Normalmente ele se mexe quando eu estou calada... O Rafa diz que eu falo tanto que não deixo o menino se expressar, rs!

Durante o segundo trimestre, eu fiz duas ultrassonografias, a TN e a Morfológica... Graças a Deus, tudo está certinho!

Nos últimos meses, planejei 3 chás de bebê e prometo, assim que o recesso começar, postar sobre eles! =D

Tudo tem sido maravilhoso! Um momento realmente espetacular e somente Deus seria capaz de criar tal milagre! E mais uma vez eu não poderia deixar de agradecer por ter sido escolhida para viver esse milagre! S2

 

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Primeiro Trimestre!

O temido primeiro trimestre já passou! Estamos com 19 semanas (4m3s), e agora posso dizer como foi esses primeiros meses da gestação.

Logo que descobri a gravidez, meu corpo fez algum click e os enjoos chegaram! Se comia muito enjoava, se comia pouco enjoava, se não comia enjoava. Se comesse doce em outra situação que não fosse sobremesa, eu enjoava muito! E até hoje não consigo comer doces como antes! 

A vantagem era que eu lidava muito bem com isso! Era sentir o enjoo, ir para o banheiro, chamar o RAULLL e pronto! Problema resolvido! Estava novinha em folha! =D

O sono foi um companheiro e tanto! Tanto que não quis embora de vez, e ainda sinto-o aqui presente várias vezes ao dia!

Nesse período fizemos uma ultra. Estava com 8 semanas, e de repente me bateu uma ansiedade, um medo de que algo desse errado! O medo era tão grande, que eu já não consegui fazer planos para o bebê! Coisa de doido mesmo! Aí não aguentei! Arrumei um pedido médico e marquei uma ultra particular para o dia seguinte! Minha mãe foi comigo, pois o Rafa estava trabalhando. 

Na hora, eu estava muito ansiosa, não entendia nem ouvia nada, e comecei a pensar que não havia batimentos cardíacos. Mas foi só a médica aumentar o volume, pra que eu pudesse ouvir o som mais lindo que já tinha ouvido até aquele dia! Foi uma emoção indescritível! Era apenas uma bolinha branca em meio a buraco negro, mas que já era possível ver e ouvir seu coraçãozinho minúsculo!  

Depois daquele dia, eu tive certeza de que esse é o desejo de Deus para nossas vidas e assim, meu coração se acalmou! S2

E a barriga!? Ah! Essa cresceu rapidinho! Já sento no preferencial desde as 10/12 semanas! E isso sem precisar pedir! 

Lembro que um dos meus maiores medos, era que quando engravidasse, as pessoas não percebessem, e que achassem que eu estava apenas mais gorda! Aí, eu engravido, e qual é a primeira coisa que se nota?! Barriga de grávida! Não há quem fique em dúvida! Até quem nunca me viu, sabe! S2

Fora os enjoos, foi um trimestre bem tranquilo! Não tive que fazer nenhum repouso, não precisei de nenhuma vitamina ou remédio. Recomecei o pilates, que havia parado no ano passado. Não deixei de fazer nada! 

E assim, terminei meu primeiro trimestre: agradecendo a Deus pela oportunidade de gerar um filho e pelos momentos prazerosos que temos vivido em companhia desse milagre! S2

sábado, 5 de setembro de 2015

O nosso melhor presente!

Desde sempre eu fui educada para ser independente. Ter uma profissão, meu próprio dinheiro, minha casa própria e só depois me casar e pensar em ter uma família... 

De certa forma cumpri o que me foi ensinado. Entrei para uma faculdade pública, sem nem saber se era o que eu queria fazer da vida. Lembro daquela pergunta clássica de primeiro período: "Por que você escolheu esse curso?" E com toda a minha sinceridade, eu respondia: "Porque era o curso com maior número de vagas!"... Não que isso seja motivo de orgulho, mas simplesmente, não sabia se era aquilo que queria fazer da vida. 

Gostei! Me formei! Mas nunca trabalhei naquilo! Sempre vi e ouvi minhas amigas planejando especializações, mestrados, um segundo diploma, cargos públicos, sonhando fazer alguma diferença na educação brasileira. E eu ali, perdida naquele mundo. Me questionando por não pensar como elas, me cobrando para ser como elas, e sem entender o porquê de pensarmos tão diferente...

Depois de muita autoanálise, descobri que meu maior desejo não tinha nada a ver com os planos das minhas amigas. Percebi que eu era diferente delas, e que meus planos não dependiam de mim ou do meu esforço ou intelecto. Eles dependiam de Deus!

Os anos se passaram e com eles surgiu um amor que eu nunca tinha experimentado, mas que já apertava meu peito de tal forma que se tornava inexplicável. Um amor por algo que nem existia. Um desejo maior que a própria vontade de viver. Algo tão extraordinário que somente Deus poderia ser capaz de criar e explicar tal amor.

Foi então que o Rafa chegou em minha vida! Meu parceiro, companheiro de todas as horas, confidente, melhor amigo, meu eterno namorado... E junto com ele veio a certeza de que meus planos não teriam o mesmo significado sem a participação dele.

Juntos, passamos por tantas coisas... Coisas maravilhosas, mas também desafiadoras. E mais uma vez, Deus se fez presente em nossas vidas! Nos fortalecendo como pessoas, como casal e como família. 

Hoje, paro, penso e me pego sorrindo a toa... E mesmo que eu agradeça todos os dias da minha vida, acho que não será suficiente. 

Arthur, você é o nosso melhor presente!


segunda-feira, 31 de agosto de 2015

O sorriso que não sai do meu rosto!

Post escrito no dia 10 de junho de 2015...

Melhor sentar... Porque eu estou tremendo até agora!

Ontem (09/06/15) resolvi comprar um teste de farmácia. Já fazia 5 dias que a menstruação estava atrasada... E óbvio que minha imaginação estava a mil! Mesmo assim eu também não queria criar muitas expectativas. Tinha decidido fazer o teste só amanhã, já que estaria em casa. Durante o dia, senti umas cólicas, e de certo a menstruação estava só esperando o negativo aparecer, para que ela desses as caras!

Eu já desconfiava de alguns sintomas, ou pelo menos achava-os muito estranho. Como arrotar eca quase o dia todo, e achar que minhas auréolas estavam muito grandes. De resto, os sintomas eram os mesmo da TPM... Cólicas e seios inchados.

Como eu estava achando que a dita cuja estava querendo me trolar, como da última vez, resolvi fazer logo esse teste e acabar com essa agonia!

- Primeira linha ok! teste funcionando corretamente
- Ah! a segunda nunca aparece mesmo! Posso esperar 1 hora que esse treco não muda =/

Chegando em um minuto, a segunda linha começa a aparecer e a ficar mais forte... E eu começo a me tremer e a chorar e a pensar "meu Deus!" "o que eu faço?" "Não vou conseguir guardar segredo do Rafa!" "Não vou conseguir fazer a surpresa que tanto planejei!" "Ah! Que se foda! Vou descer e contar logo!"

Imagina a cena melhor não. Desço as escadas sem roupa afinal estava indo tomar banho, tremendo e chorando. Entrego um palito xixizado na mão dele, e pergunto em meio as muitas lágrimas, risos e tremedeiras: "tem duas linhas aí?!" Ele sem entender nada de teste de gravidez, me responde que sim. Eu explico ou pelo menos tento dizendo que duas linhas é positivo, e começo a chorar mais ainda! Ele corre e fecha a janela minha mãe é nossa vizinha, senta e fica atônito olhando, ora para mim, ora para o palito xixizado, rs! Me abraça, me beija e com os olhos marejados só consegue dizer que está muito preocupado. Me pede desculpas por não estar pulando de alegria, mas o fato de ter acabado a quimioterapia a 8 meses ainda o deixa muito preocupado e com medo de que isso gere alguma má formação.

Isso também me preocupa não só isso, já que tive infecção urinária, fiz trilha, bebi cerveja, vinho, tomei antibióticos... Mas no momento só consigo agradecer a Deus e a única coisa que posso fazer a respeito disso, é pedir a Ele que cuide desse ser que está dentro de mim!

Senhor meu Deus, me perdoe por não ter a fé que Tu gostaria que eu tivesse. Por duvidar de que Tu tens planos para nossas vidas e que o Teu tempo não é o mesmo que o nosso. Hoje, mas do que nunca, sei que Tu és Deus de milagre! Pai, obrigada por nos abençoar com o maior presente do mundo! Por me permitir gerar uma vida e por se fazer tão presente em nossas vidas!


quinta-feira, 27 de agosto de 2015

O Espermograma

Post escrito no dia 29 de maio de 2015...

Rafa fez um espermograma... A contragosto do urologista, que disse que tínhamos que "ter cabeça" para fazer esse exame tão cedo, visto que só tinha 6 meses que a quimioterapia acabou, e que normalmente demora-se 3 anos para o corpo voltar ao normal.

Enfim... Foi ele para o laboratório olhar mulher pelada, rs!

O resultado saiu, e para nós, leigos, não era muito animador. Por isso, nem voltamos no médico. Enviamos o exame para nossa cunhada, que trabalha com alguns médicos, e um deles também é urologista.

O resultado foi satisfatório! Ele disse que para apenas 6 meses, a recuperação está excelente! Tudo bem, que a contagem estava em 3,2 milhões, quando o normal é acima de 20 milhões, e que 60% estavam imóveis, 20% lentos e 20% moderados... Ou seja, nenhum rápido! Mas, mesmo assim, havia chances de gravidez!

Ficamos satisfeitos com a análise do médico, mas sem muitas esperanças de que alguma gravidez aconteça em breve!

Mais uma vez, entrego nossas vidas nas mãos de Deus!